Esta foi a sua vida

Biblia

sábado, 27 de junho de 2015

Os últimos sinais, o sinal da besta 666, fuja.


terça-feira, 23 de junho de 2015

terça-feira, 19 de maio de 2015

Microchips: implantes como um aplicativo definitivo

Microchips: implantes como um aplicativo definitivo

Posted by  on 19/05/2015
chip-rfid-implantes
Microchip em Humanos: Com você “sob a sua pele”
Milhares de “entusiastas” da tecnologia vão usá-lo como o aplicativo final, o que lhes permitirá desbloquear-bloquear as suas casas, carros, telefones,computadores e celulares com um simples aceno de mão. 
Mas há um porém: eles devem ter um microchip inserido em seus próprios corpos. 
“E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imageme receber o SINAL na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus…”.  Apocalipse 14:9-10

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com
Microchip em seres humanos: com você “sob a sua pele”, o tempo todo.
Iain Gillespie – Sydney, Austrália
A ideia pode parecer estranha, e até dolorosa, mas implantar um microchip em humanos parece atrair não só os amadores (n.t. e inconscientes), que se chamam biohackers, mas também e principalmente, os governos, as forças policiais, autoridades médicas e empresas de segurança.
Ele envolve o uso de uma agulha hipodérmica para injetar um microchip RFID (identificação por radiofrequência), hoje cerca do tamanho de um grão de arroz, geralmente na mão ou no pulso da pessoa. O mesmo tipo de chip é usado para rastreamento de animais de estimação perdidos.
chip-rfid
Os implantes enviariam um número de identificação único que pode ser usado para ativar dispositivos como telefones e fechaduras, e pode conectar-se a bancos de dados que contêm informações ilimitadas, incluindo dados pessoais, tais como nomes, endereços, registros de saúde, habitos de gastos, viagens, etc…
Os Chips RFID já estão em toda parte. Basicamente, se você tem que usar um cartão (débito ou crédito), o seu ID esta codificado na tarja magnética. Se você tocá-lo em um leitor, como acontece com Myki, tem um chip RFID com seu número nele ligado ao banco de dados relevantes com sua informação sobre ela. Os últimos cartões de crédito têm tanto as barras bem como RFID. Algumas etiquetas RFID tem uma pequena bateria ou outra fonte de energia, permitindo-lhes operar distantes centenas de metros e que eles deste modo não precisam estar na linha de visão de um leitor ótico.
Tanto quanto sabemos, este tipo de Chip ainda não pode ser feito bem pequeno o suficiente para incorporar em seres humanos. O Cientista em Cibernética Dr. Mark Gasson, da Universidade de Reading, na Grã-Bretanha, tornou-se o primeiro ser humano a ser infectado com um vírus de computador, depois que ele injetou em si mesmo um microchip em 2009 para controlar dispositivos eletrônicos em seu escritório. O vírus foi replicada nos swipecards de funcionários que acessam seu prédio e infectou o banco de dados da universidade. 
rfid-visa-logo
No entanto, Gasson e outros cientistas dizem que um novo mundo com populações em massa de pessoas (chipadas) “informatizadas” é iminente e “inevitável”. Eles dizem que os dispositivos de computação complexos rotineiramente implantados em seres humanos por razões médicas também tem a tecnologia para melhorar as habilidades de pessoas saudáveis.
“Ele tem o potencial de mudar a própria essência do que é ser um ser humano”, diz Gasson. “Não é possível interagir na sociedade de hoje de forma significativa, sem ter um telefone celular. Acho que os implantes humanos de Chip vão surgir ao longo de uma rota similar. Será uma tal desvantagem não ter o implante que, essencialmente, isso não será opcional“.
No ano passado, a linha entre o homem e a máquina ficou ainda mais turva, quando a Universidade de Stanford anunciou que seus cientistas haviam criado o primeirotransistor puramente biológico que foi feito inteiramente de material genético.  O professor assistente de bioengenharia da Stanford Universuty, o Dr. de Drew Endy, descreveu a descoberta como o componente final necessário para um computador biológico que pode operar dentro de células vivas e reprogramar sistemas vivos.
Kevin Warwick, professor de cibernética da Universidade de Reading, tem um dispositivo eletrônico em seu corpo que faz a interface com o sistema nervoso, e tinha uma versão mais simples implantada no braço de sua esposa. Sinais rudimentares entre os dois provaram que a comunicação puramente eletrônica é possível entre dois sistemas nervosos humanos.
Kevin Warwick
Acima, o Professor Kevin Warwick e o seu braço com chip aciona um braço cibernético (robótico). Photo: REX
O braço “chipado” de Warwick lhe permite usá-lo através de um link de computador para operar um braço robótico em outro continente. O braço do robô vai imitar tudo o que os movimentos do braço e mão que ele faz com o braço natural. Mas a ligação com o sistema nervoso de sua esposa é tão rudimentar que ele diz que só pode saber se ela apenas moveu o braço dela.
O  empresário e ativista da internet do software livre de Melbourne, Austrália, Jonathan Oxer injetou-se com um microchip em 2004, depois de obter o mesmo kit que os veterinários usam para animais de estimação da família. Sua conta no Twitter o descreve como um cyborg em andamento.
Oxer usa o chip para operar fechaduras da casa e seu computador, e diz que depois de uma década dentro de seu corpo o implante não causou nenhum efeito colateral à sua saude. “Agora (o Chip) é como qualquer outra parte de mim. Eu nem sequer penso mais sobre isso”, diz ele.
Jonathan Oxer
Jonathan Oxer injetou-se com um microchip em 2004, depois de obter o mesmo kit que os veterinários usam para animais de estimação da família
A idéia do uso de implantes eletrônicos se generalizando nos seres humanos diz respeito a Drª Katina Michael, uma professor associada da Universidade de Wollongong, que é especialista nas implicações sócio-éticas de tecnologias emergentes. “Microchips RFID são, essencialmente, uma identificação única embutido em seu corpo, e, como sabemos, os números podem ser roubados e os dados podem ser hackeados.
Trazendo um número de problemas informáticos externos para o corpo humano é um caminho cheio de perigos”, diz ela. “Eles apontam para uma sociedade em estilo super-vigilância que é estilo Big Brother do lado de dentro olhando para fora.”
Os Governos ou grandes corporações que tenham a capacidade de acompanhar (rastrear) as ações e movimentos das pessoas (chipadas), categorizá-los em diferentes grupos políticos, raciais, religiosos ou de consumo sócio-econômicas e, finalmente, até mesmo controlá-los”.
microchip-europa-01
Michael se preocupa com as pessoas sendo forçadas ou coagidas a ter um chip implantado, algo que ela diz que é provável que já tenha acontecido. “É uma preocupação que pelo menos nove Estados norte-americanos demonstram e que até agora proibiram implantes de microchips forçados”, diz ela.
Mas em 2007 uma empresa chamada VeriChip injetou cerca de 200 pacientes com o Mal de Alzheimer, muitos deles incapazes, com microchips ligados a seus registros de saúde. Os pacientes foram fornecidos por uma casa de repouso na Flórida, que se  beneficiou do patrocínio da empresa. A polêmica começou depois que foi descoberto que a empresa VeriChip conduziu o estudo sem obter a necessária aprovação do Conselho de Revisão Institucional da Flórida, que supervisiona a proteção dos seres humanos em pesquisas.
Procurador-geral do México e altos membros de sua equipe foram implantados com VeriChips dando-lhes acesso às áreas de segurança de sua sede local, e militares e policiais do país estão declaradamente próximos para serem chipados. 
Morte
“E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome”. Apocalipse 13:16 e 17
O Distribuidor VeriChip Solusat também anunciou um acordo com a Fundação Nacional para a Investigação de crianças perdidas e sequestradas do México, para promover a implantação de microchips nas crianças do país. Como os chips poderiam ajudar na sua localização ainda é incerto, uma vez que eles ainda não têm a tecnologia de rastreamento GPS.
A empresa VeriChip agora mudou seu nome para PositiveID  (controlada pelaApplied Digital Solutions) por causa de uma avalanche de publicidade negativa e emergiu como um desenvolvedor do que eles chamam agora por “sistemas de detecção biológica”.
Outras empresas também estão no mercado de implantes de microchips, e seus pesquisadores estão trabalhando duro para integrá-los com a tecnologia de localização via GPS. Quando eles tiverem sucesso nesse área de localização, os produtos estão previstas para ganhar um enorme mercado internacional, provavelmente o mundo inteiro.

Os opositores desta idéia estão lutando contra. “Tecnologia deste tipo é facilmente abusiva da privacidade pessoal”, diz Lee Tien, da Electronic Frontier Foundation. “Se uma criança é rastreável, você quer que os outros possam ser capazes de acompanhar o dia do seu filho? É uma enorme faca de dois gumes.”
Publicado originalmente em Maio de 2014.
Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.
thoth-escriba

quinta-feira, 30 de abril de 2015

TECNOLOGIA DA NOM: Vídeo mostra robô quadrúpede Cheetah correndo a mil em ambiente externo! Postado por: Fernando Ramos 4 de outubro de 2013 em TECNOLOGIA DO FIM 1 Comentário 10 Nosso ilustre robô Cheetah, aquele modelo quadrúpede cuja anatomia se assemelha à de um verdadeiro felino, deu um show de exibição no novo vídeo que demonstra sua funcionalidade, o qual você confere acima. O que vemos é uma bela representação do que o futuro pode aguardar. A Boston Dynamics, empresa que está cuidando da iniciativa e financiando a empreitada, batizou o modelo acima de “WildCat” (gato selvagem, em tradução livre), robô quadrúpede que é capaz de correr de duas maneiras diferentes: galopando – semelhante ao modo como os cavalos fazem – e saltando em pés atados, similar ao que outros quadrúpedes de pequeno a médio porte fazem. Além disso, o Cheetah WildCat faz ousadas viradas enquanto está correndo e com pouquíssima perda de velocidade! O robô consegue alcançar até 25 km/h com bastante eficiência. Até o barulho do motor é louvável. Não foram divulgados os detalhes de toda a montagem e como a traquitana está funcionando dentro dessa engrenagem – nem quanto tempo dura o motor. Mas que belo conjunto, não? Fonte: YouTube/BostonDynamics

segunda-feira, 13 de abril de 2015

clube de roma revela os dez reinos

2012 tempestade Este site só revela uma parte minúscula da Verdade. Clube de Roma: Futura divisão do mundo em 10 super-regiões O Clube de Roma é uma instituição internacional fundada em 1968 que produz regularmente relatórios sobre as grandes questões do mundo, como a economia, epidemias, aquecimento global, e outras. Num dos seus dois relatórios mais conhecidos, publicado em 1972 e intitulado ”Limites ao Crescimento”, afirma que “a Terra fará face a uma catástrofe iminente se a civilização humana continuar a sua presente trajectória”. No outro, publicado durante os anos 1990, intitulado ”A Primeira Revolução Global”, afirma que a situação piorou muito e que acções drásticas são requeridas, afirmando coisas como: “A democracia falhou e novas formas de governo são requeridas.”, e “um inimigo comum tem de ser encontrado, real ou inventado, para unir a Humanidade.” Declaram por fim: “procurando um novo inimigo para nos unir, achamos que a poluição, a ameaça do aquecimento global, a fome e outros problemas do género são ideais para esse propósito.” A seguir estão alguns links sobre o Clube de Roma e os seus propósitos: Club of Rome Aquecimento global: Club of Rome: Ten Regions & Global Warming Fraud Global Warming Scam Mankind at the Turning Point SIDA: Club of Rome and AIDS Divisão do Mundo em 10 super-regiões político-económicas: Relatório de Setembro de 1973 - Regionalized and Adaptive Model of the Global World System Excerto do livro "Behold a Pale Horse" de William Cooper O Clube de Roma, num relatório publicado em Setembro de 1973, dividiu o Mundo em 10 regiões político-económicas, a que chama “reinos”. Essa divisão será implantada durante a década de 2010, com o fim de ser uma fase de preparação para a união política mundial, a chamada "Nova Ordem Mundial", com um governo mundial ditatorial. Essa divisão será feita como mostram as imagens abaixo. Email This BlogThis! Share to Twitter Share to Facebook Share to Pinterest Etiquetas: aquecimento global, clube de roma, governo mundial, mundo, nova ordem mundial, regiões, sida Newer Post Older Post Home